28 outubro 2012

Digo isto todas as vezes que uso o youtube

Isto (o youtube) já passava a ser um serviço subscrito, eventualmente pago ou a viver à custa de publicidade, em que o copyright não seria um issue. De cada vez que tento ver um vídeo que alguém linkou e tem uma musica qualquer, 90% das vezes diz-me que não, que na Alemanha o detentor do copyright não deixa. Youtube sucks big time. Dêem lá a volta a isso, que como está não é progresso, é regresso ao passado. Queremos viver no futuro!

Depois do Outono, vem o Inverno

Umas vezes mais tarde, outras vezes mais cedo. Desta vez, veio cedo.


Ontem acordei com chuva. Virei-me para o outro lado e continuei a dormir. Hoje acordei e estava uma claridade fora do comum. Espreitei pela janela e vi isto. Tudo branco. Pensei "bolas, vou ter que limpar o passeio", virei-me para o lado e continuei a dormir. Isto é o que faz a diferença entre um emigrante recente e um emigrante que já cá está há tanto tempo que, apesar de continuar a não ser um nativo, já faz parte da mobília. Alguém que tenha vindo mais recentemente vê neve e alegra-se. Alegra-se apenas. A neve em Portugal é algo relativamente raro. Quando neva, pára tudo. Aqui não. A neve pode abafar os sons, pode haver um pouco menos de gente nas ruas, mas a vida continua como se não fosse nada. E passada a fase inicial do branco bonito, a cidade que se cobriu de branco torna-se suja, a neve torna-se castanha ou preta, suja, molhada, incomodativa.

27 outubro 2012

23 outubro 2012

Aquele Outono fabuloso


Regresso à adolescência

No verão tive um ataque de acne na cara. Borbulhas como nunca me tinham aparecido na vida, umas atrás das outras, inchadas, vermelhas, quase um cenário de filme de terror (ou de filme de adolescente em que eu seria a nerd). Na altura fui à farmácia de um dos hipers, onde a técnica me disse que aquilo era mas é uma alergia solar. Eu pensava que seria alergia ao protector solar e queria comprar um hipoalergénico, mas ela aconselhou-me uns comprimidos para a alergia solar, e eu fui na conversa, até eram mais baratos que o protector XPTO e tudo. Resultado, nicles. Andei 4 meses a pensar que tinha uma alergia, e a trocar de creme da cara a ver se melhorava, a parar de por creme, enfim, tentei uma data de coisas e a minha cara continuava em erupção contínua.
Ontem, finalmente, entrei na drogaria para comprar fosse o que fosse que tivesse ácido salicílico  para resolver o que cada vez mais me parecia um problema de acne. Clearasil super rápido acção em 4 horas, foi o que trouxe. Mais barato que os comprimidos anti alergia, mais barato que qualquer creme anti não sei quê contra as alergias e peles sensíveis e sei lá o que mais. Coloquei uma vez à noite, outra de manhã e notei logo uma diferença enorme.
Quer eu queira quer não queira, sou uma adolescente. Ou pelo menos, é o que pensa a minha pele. Antes isto que uma alergia ao sol.

21 outubro 2012

Eu ainda sou do tempo...

...em que só havia telefones com fio, e se punham no hall da casa. E nem toda a gente tinha telefone. E nas aldeias só o café tinha um, que era serventia de todos (a pagar, claro).
E depois vieram os telemóveis. que eram grandes e pesados mas tinham um écran mínimo e só davam para fazer chamadas e mandar mensagens. E antes disso ainda houve os bips (pagers), mas duraram pouco porque ninguém gostava deles.
Saudades? Nenhumas. Os telefones fixos sem fios são geniais e só pecam por fazerem menos coisas que um telemóvel actual. Os telemóveis ultrapassaram a fase em que os amigos comparavam a ver quem tinha o mais pequeno, e agora e a ver quem tem o maior... écran.

A procura de uma lista de compras

para o telefone. Aquilo até tem  um bloco notas, mas não me apetece utilizá-lo. O continente é que era, lembro-me que tinham umas listas em papel geniais, ordenadas por secção e tudo. Por cá nunca vi nada disso. Bastava fazer a mesma coisa para app, não tem nada que saber...

19 outubro 2012

Este Outono

Eu não gosto lá muito do Outono. Lembro-me de gostar muito de Setembro, do regresso às aulas, livros novos, artigos de papelaria nos supermercados, do ar de novidade que o acompanha, mas o início de Setembro ainda é Verão. O Outono é mais para Outubro, quando o ar começa a esfriar rapidamente, os casacos saem do armário, as sandálias são arrumadas até ao fim da Primavera, a época da chuva começa, e às vezes até caem as primeiras neves. Não gosto do frio. Gosto de me esticar ao sol como um gato, pronta a dormir uma soneca, gosto de me sentar numa esplanada com uma bebida à frente a apanhar raios de sol, gosto quando o meu cabelo fica tão quente que quase podia estrelar um ovo em cima dele. Gosto quando está tão quente que sinto uma gota de suor a escorrer pela perna nua abaixo, mesmo que não esteja tão quente que possa estar à sombra sem sentir frio.
Até gosto de acender a lareira, castanhas assadas, abóboras e muitas outras coisas que vêm com o Outono, mas do frio que o acompanha, não gosto nada.
E como não gosto do Outono, tinha que registar que este está a ser o melhor Outono de sempre. Há semanas que praticamente não chove, o sol brilha, à tarde está quentinho e pode-se passear na rua com t-shirt. As esplanadas estão apetecíveis, os italianos ainda vendem gelados, e o ambiente é de um verão tardio. As folhas caem, a luz do sol nas árvores de cores laranja ou avermelhada é fabulosa, o céu está 90% azul. Havia de ser sempre assim, o Outono.


13 outubro 2012

No supermercado

Faço compras à pressa, como sempre, uma corrida contra o tempo, que tenho mais que fazer e num instante a companhia se farta de andar por ali. Na zona da fruta, a minha preferida, demoro um bocadinho mais. Há melões, meloas, melancia, aposto que nem um deles viu o sol, amadurecidos à força num frigorífico ou armazém, com sorte saberão a agua com um leve travo à fruta que se estará a comer. Deixo-os ficar. Morangos, os últimos do ano, caros, alvos das minhas suspeitas, os morangos de pré-época são sempre muito melhores que os pós-época, não obrigada, prefiro esperar pelos de março ou abril. Laranjas, maçãs, bananas, nozes, uvas. E castanhas. Trago algumas, para assar ao lume, meia dúzia a seguir ao jantar, Lá fora está frio, castanhas assadas vão bem com frio, aquecem as mãos e o estômago.
Despacho o resto das compras e dirijo-me a caixa. A funcionária passa os produtos pelo scanner, uns atrás dos outro, até que chega às castanhas. Não se lembra do código, procura nas listas, finalmente desiste, e pergunta à colega. A resposta vem pronta: o código, e a localização do mesmo na lista. Está nos produtos exóticos. Castanhas, exóticas???

09 outubro 2012

Admirável mundo novo

A miúda de 4 anos a explicar ao miúdo de 16 como é que se usa o tablet. Genial. A navegar pelos diferentes menus, a escolher as diversas apps, desde desenhar, jogar, ler livros, escolher vídeos no youtube ou os promocionais da app store, e "escrever uma carta". Eu sempre disse que estas coisas com touchscreen foram criadas para crianças muito pequenas.

08 outubro 2012

Uma sorte desgraçada

Quando precisava de estar no meu melhor, saio de casa e reparo que tenho um rasgão na parte de baixo da traseira da saia. Tarde demais para voltar atrás, faço figas para que não se note muito, e siga para bingo. Nota-se. Faço figas para que a maior parte da gente que vou ver seja portadora de um cromossoma Y, e aquilo passe despercebido. Confirma-se, homens por todo o lado. Raios para a saia. Passo a maior parte do dia sentada. Quando me levanto, tento que ninguém fique nas minhas costas. Extremamente bem educada, é isso que eu sou. ;-)
O dia termina. Finalmente chego a casa, tiro a saia, vejo finalmente o tamanho do rasgão. Um centímetro, quase dois, Não tem salvação. Uma saia a menos, e um dia que podia ter corrido melhor. No entanto, congratulo-me. Não foi assim tão mau. Consegui esquecer-me do desastre a maior parte do tempo. Nos próximos dias vou tentar lembrar-me de comprar um estojo de costura de emergência para ter no trabalho. Não que saiba coser, não sei, mas numa situação como esta tinha dado um jeitinho. Pensando melhor, vou mas é guardar uma roupa de emergência no trabalho. Muito mais fácil.

01 outubro 2012

Como isto anda

Apeteceu-me fazer biscoitos. Encontrei estes, de cacau e amendoim, e como não tinha amendoim substituí por amêndoa laminada. Ficaram bons, mas fofos (para biscoitos). Se fizer outra vez tenciono torrar a amêndoa ou amendoim na frigideira antes de juntar 'a massa.
Hoje, agora que já desapareceu metade dos biscoitos (dois deles quebrados em pedacinhos e misturados em sorvete de limão, uma delícia), encontrei os amendoins numa gaveta. Ups, fica para a próxima.